Powered By Blogger

Páginas

curvas, retas e esquinas

terça-feira, 6 de outubro de 2020

Minha razão humana © Copyright

                                                                                   


Meu refúgio, meu subúrbio,

dimensão onde sei existir.

Eu existo onde inexisto.

Espaço vazio é meu cabaré.

Sou circo que me envolve

num palco de rir do mundo.

sou gritante de tão calado,

sou um raso rio profundo.

Sou longe de tão perto,

sou poça de submergir.

Sou a pele que se mostra,

sou interior de emergir.

Às vezes sou homem trancado

na exclusividade do meu mundo.

O que prendo deixo solto.

O que me vale, o que não calo:

deixo claro, grito mudo.

Céu e precipício são sentidos.

O que me socorre e me arrasta

tem seu próprio tempo.

Meu espirito nas águas mornas

de conforto se entorna.

Deixo claro que essa vida

é meu próprio templo.


By betonicou

Arte : Justyna Kopania

                                                                                                                           

25 comentários:


  1. Certamente o nosso meio, é o lugar aonde nos sentimos mais a vontade, mesmo que ao redor haja só necessidade,
    De ter e de ser, um ser calado, profundo, transparente, as vezes senti uma necessidade de silêncio e solidão, se gosta dá liberdade, se valoriza não se cala, demonstra sem falar, vai atrás do que deseja e espera o tempo certo das coisas.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Beto,
    Que retorno espetacular!!!
    Este teu poema que contemplo (ele sim), torna-se em um templo de esperanças... Num bálsamo devotado à alquimia das palavras!
    Um forte abraço e saudações alvinegras!!!

    ResponderExcluir
  3. A veia poética que nunca se esgota.
    Aquele abraço

    ResponderExcluir
  4. Gosto muito de tuas poesias e e, todas a tua marca...Beleza, profundidade... Beleza de ler! abraços, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde de poesia, Beto!
    Muito profundo e a razão se funde à emoção dando um produto final extremamente belo.
    Imagem instigante...
    Tenha dias abençoados!
    Abraços fraternos

    ResponderExcluir
  6. Beto, parabéns pelo blog e pelo poema. Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Bom dia Beto. Poesia e imagens, bela combinação.

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde! Belo poema, haja talento! Bjinnho

    ResponderExcluir
  9. Por vezes, ficamos todos trancados em nossos mundos individuais, onde não sentimos vazios e nos libertamos de tudo. Eu diria que é poeta, navegando sem parar no templo da própria vida.
    Gostei de sua casa e já me acomodei rss.

    ResponderExcluir
  10. Has vuelto y mi sonrisa a comenzado
    estás bien
    Un abrazo alado
    poeta de las letras dulces

    ResponderExcluir
  11. Não para completar sua poesia
    eu diria que tudo se resume em
    uma alma dependurada numa corda.
    Ninguém, e talvez nem ela saiba
    se deve subir ou se deixa descer.
    Um abraço, meu amigo querido e bom
    fim de semana.

    ResponderExcluir
  12. Nossa!!! Beto, você voltou explodindo a beleza da poesia, que beleza, amigo! Aplausos mil!
    Que ritmo ótimo, tocante, meu amigo!!
    Beijo, um bom fim de semana, e que venham mais belas inspirações!!!

    ResponderExcluir
  13. Revi-me na tua “ razão humana” e penso que isso acontece com todos os que te lêem Somos assim mesmo, seres complexos que vivem num só dia um emaranhado de emoções que nem sempre sabem explicar e entender A vida é, como bem dizes, “ o nosso templo “, templo que deveria ser sagrado, respeitado, dando-lhe o melhor de nós, a nossa sensatez, o nosso amor, enfim, a nossa humanidade, já que somos seres ditos humanos Infelizmente, esse templo é maltratado; calamos; ignoramos, “ trancamo-nos na exclusividade do nosso mundo” e o vazio se instala em nós que não percebemos que a essência do ser humano está na doação ao outro, está na fraternidade, na disponibilidade em dar a mão a quem precisa ; é tudo isto que, de certeza, nós “ socorre”, nós “ confira nós muito momentos difíceis É bom viver com humanidade! Nem sei i que dizer, Beto..lindo demais! Beijinhos e obrigada pela reflexão que me levaste a fazer. Saúde, Amigo!
    Emilia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigir...nos socorre...nos conforta..nos momentos muito difíceis.
      O que dizer
      Dsculpa, Amigo!
      Bjo

      Excluir
  14. Beto, meu caro amigo
    Quanta saudade!
    Você voltou, e em grande, já que este poema reflecte o resultado de um grande recolhimento, talvez uma introspecção involuntária, mas que se traduz neste belo poema.
    Que a vida te sorria, sempre.

    Desejo uma semana feliz
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  15. Não há dúvida que se aborreceu com os meus espaços, nunca mais apareceu, nem nos dias festivos...

    A sua poesia continua singular e especial!
    Parabéns.
    Tudo pelo melhor.
    Abraço
    ~~~~

    ResponderExcluir
  16. A vida é mesmo uma mistura de contradições...
    Um poema excelente, gostei muito das suas palavras.
    Continuação de boa semana, caro Beto.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  17. Meu grande poeta, você esta de parabéns

    ResponderExcluir
  18. Boa noite Beto
    Belo poema, aliás como sempre todos os seus poemas são belos e profundos. Feliz fds. Abraços.

    ResponderExcluir
  19. Voltei a ler o seu poema...
    Achei as antíteses excelentes num poema de elevado nível...
    Abraço, amigo.
    ~~~~

    ResponderExcluir
  20. Ual Beto, Poesia é!!!!
    Lindos versos.
    Bjins de boa nova semana.CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  21. Nós... e o contrário de nós... nos nossos piores... e nos melhores dias!...
    Achar o equilíbrio... e a nossa aceitação, de que somos o melhor que conseguimos ser, dadas as circunstâncias... é o desafio de toda uma vida...
    Como sempre uma inspiração reflexiva, profunda e com a sensibilidade que lhe é inerente, Beto... Adorei cada palavra!
    Beijinhos! Feliz semana, com saúde, motivação e inspiração!
    Ana

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde meu querido amigo e poeta. Ainda farei se Deus quiser uma matéria especial sobre Santa Luzia. Grande abraço. Saudades do verdadeiro pão de queijo.

    ResponderExcluir
  23. Estou me lembrando do Chico
    dizendo, em versos, o samba
    do bêbado e do equilibrista,
    que no fundo, no fundo, são
    as mesmas pessoas.
    Um beijo, bom dia e, tudo de
    bom pra você.

    ResponderExcluir
  24. Reli essa beleza!! Maravilha!
    Beijo, querido amigo, uma boa semana.

    ResponderExcluir

people of the world comment if to like… important for the development of this work…