Powered By Blogger

Páginas

curvas, retas e esquinas

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Desejosa despedida© Copyright



Tudo tem seu tom e tem, as cores com seus tons tão raros. As rosas brincavam sob a chuva. Tão viçosas   eram, as rosas de vermelhos claros. As flores cobriram o meu céu com suas asas de ares perfumados. Pousaram silenciosas, as pétalas nesse campo de jardins de orvalhos e delicados. As vozes gritam, e eu mudo quero gritar também, e dizer que estou amando.  Tudo flutuava, em águas claras que levaram tudo embora e eu de cabeça fora gritava: estou chegando!

O céu era azul e às vezes escuro, com seu brilhante luminar dos amantes. As brisas acariciavam enquanto no colo, eu dormia um sonhar naquele mar de amor, das calmas ondas da paz dos navegantes. Era tempo de rir e sonhar os momentos extremamente válidos. A roupas que vestiam eram as mesmas da nudez dos instantes cálidos.  A vida é assim: tempestades de gritos dos sufocados.  O coração suporta, para o amanhã dos ares cristalinos, calmos e sossegados.

Tudo lá fora grita o abandono, mas são supostos acenos despedidos. As nuvens desenham os meus caminhos e o céu desaba meus tolos sonhos diluídos. A terra abraça os meus beijos e brota tudo, em flores de outono. Despencam sossegadas, as folhas de meu desejoso abandono. São caminhos escolhidos e os olhares para trás já não são ações e pensamentos validos. O horizonte abraça os meus desejos de caminhar também, e eu todo solto digo: está tudo bem. 



 by betonicou 
Arte: Adiian Maco & Peter Adderley