Powered By Blogger

Páginas

curvas, retas e esquinas

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Solitate © Copyright

Sorrindo caminhei. Na valsa nova flutuei e levei de balsa o carinho. De menino travesso a rei, um rei sem reino, eu sei; minha estrada bamba de corda de linho.
  Escadas para o céu subi e das nuvens fracas despenquei. Quando para a esplanada olhei uma certeza sempre terei: de lá nunca fazer meu ninho.
Eu refleti quando na areia branca desenhei; onda de mar lavou meus sentidos. Eu santo caminhei, junto aos pecados que descobri: rosa, sempre, será a lança em meus conflitos.
 Tanto faz a saudade do que senti e passei, a liberdade, que tanto guerreei e fiquei iludido se não terei direito a prosas: versos que, enfim, escreverei sobre amar e prantos.
Bem sei que menino da inocência é rei, reino que se traz sem ruir, parque de sonhos que se desenha em sorrisos de criança; esses, sempre serão as joias mais preciosas.
 Imaginárias asas da infância que sempre traçaram os caminhos, canteiros que sempre escondi meus mimos. Hoje, flores de uma saudade intensa. 


By betonicou
Arte: Sam Hyuen Kim & Lucy Campbell



30 comentários:

  1. Nem sei o que te dizer além de aplaudir e voar nas asas da inocência de um menino! parabéns! Ficou tri! abração,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. chiquinha, dá licença pra eu mandar
      um recado pro porteiro através de
      você; Beto, quando deres a cara por
      aqui, onde eu moro, faço questão de
      receber-te em minha casa, mas tragas
      duas porque eu moro sozinho.(risos)
      (Brincadeira quanto "as duas"). Podes
      vir, pois a casa não é grande, só o coração tem esse tamanho.
      Um abraço pra ti e, Chica, um beijo.

      Excluir
  2. Tem razão, as crianças e os seus sorrisos são mesmo jóias preciosas.
    Excelente texto, poesia em formato de prosa.
    Caro Beto, tenha uma boa semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Que saudosismo "gostoso" o eu poético nos compartilha. Ele, ao mesmo tempo que é introspectivo, revela -se para nós de modo reflexivo. Chega a ser pueril sem ser banal e está bem consciente de suas ações. Mesmo nos devaneios, a realidade o cerca e gera momentos de transcendência. Meu amigo, continue firme nesse propósito!

    ResponderExcluir
  4. Prosa poética lindíssima. Fascinante de ler
    .
    Uma semana feliz
    Cuide-se

    ResponderExcluir
  5. Meu bom amigo Beto,
    Escrevestes nestes tempos sobre tudo, mas, com certeza meu bom amigo, ainda terás muito para escrever e nos passa, ao som da tua “flautinha mágica”, sempre tão bem afinada, nos “belos horizontes” dos teus versos.
    Um abraço “bem BH” para ti meu BOM!!!

    ResponderExcluir
  6. Você deve ser um cara, perdoe-me por
    tratá-lo assim, muito legal de ter como
    amigo. Um dia vou à Minas conhecê-lo.
    A gente toma um café de cevada, troca
    abraços e ri dos outros. Ou da gente
    mesmo, sei lá. Tudo por conta do jeito
    carinhoso como nos trata, seus leitores.
    Um amplexo, Beto e boa tarde.

    ResponderExcluir
  7. Querido amigo, quanta ternura a recordar a infância, esse tempo de fantasia e inocência que se vai volatizando quando se vão aprendendo os enredos em que vivem os adultos.
    É bem verdade quando afirma que os sonhos e sorrisos de criança são jóias preciosas, porém, só para quem as sabe valorizar...
    Mais um texto de delicada e deliciosa prosa poética... Encantadora...
    E sempre: os meus aplausos pelo talento.

    Beto, espero por si em África... Sorrssssss...
    Boa semana, com tudo a acontecer como deseja...
    O meu terno abraço.
    ~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  8. Boa noite Beto
    Amo as suas poesias, mas você consegue me surpreender. Lindíssimo meu amigo a sua inspiração é demais. Um sorriso de uma criança é algo que faz o dia Alegre. Feliz semana. Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Que poco sabemos de vos contanos Estas casado viudo soltero separado?
    eres un artista de tus letras abrazos

    ResponderExcluir
  10. E nós mais uma vez sonhámos juntamente consigo.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderExcluir
  11. Qué lindo recordar la felicidad de la infancia ..., como si nunca hubiera habido una palabra de tristeza en la infancia. Me gusta la historia que escribiste aquí. La serie de historias es hermosa e interesante.
    Saludos de mi parte a usted, Betonicou

    ResponderExcluir
  12. Que bom amigo, velejar nestes sonhos infantis, valsear sobre nuvens frágeis, mas que sustentam a inocência do menino, que conta estrelas nas pontas do dedos sem medo de verruga.
    Bravo Betonicou e que os dias sejam mais leves e que a vida possa voltar ao seu curso normal.
    Abraços de paz amigo das Gerais.

    ResponderExcluir
  13. Gostei de reler o seu magnífico texto.
    Caro Beto, continuação de boa semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  14. Bom dia beto,
    Que lindas recordações, a infância nos faz sonhadores, bom é manter vivo o sonho, não importa se a corda bamba é de sisal ou de linho.

    Uma prosa impecável, gosto das metáforas que vc usa.

    Agradeço a sua presença ontem lá na minha festa, valeu sua linda e carinhosa mensagem.

    Votos de ótimo findi que se aproxima.

    Bjss

    ResponderExcluir
  15. Quando nos permitimos dar asas as emoções a inspiração flui que é uma beleza... A prova está aqui em suas leves palavras que nos movem pela imaginação...
    Gratidão por esse momento!

    ResponderExcluir

  16. Menino rei continue dando asas à imaginação, seguro suas asas, para brincar em prosa e verso.

    ResponderExcluir
  17. Tá certo, meu amigo. Vou aceitar o café,
    mas os sanduíches deixa que eu levo.
    Quando você aparecer por aqui me avisa
    pra gente comer uma churrascada. As duas
    latinhas de cerveja eu faço questão de
    comprar. (risos).
    Valeu, meu amigo. Vamos deixar o bicho
    morrer primeiro (vírus).

    ResponderExcluir
  18. Que nunca se perca, em cada um de nós, o espírito primordial, de olhar o mundo, com a inocência das crianças... que não o condenam logo à partida, nem lhe põem rótulos... mas antes o procuram efectivamente entender...
    Mais um maravilhoso texto, por aqui, que nos remete, para a leveza da infância... e nos faz esquecer tanto, do peso deste estranho e colectivo presente...
    Beijinho! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  19. Caro Beto, tenha um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  20. Boa noite de muita paz, amigo Beto!
    Por sorte vim rever meus seguidores porque cometi o lapso de não comentar aqui. Perdoe-me, por gentileza.
    Sorrisos e sonhos de criança são os mais lindos e não devem e nem podem ser esquecidos.
    Seu eu lírico é tão doce, amigo.
    Tenha um ótimo domingo!
    Cuide-se bem!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  21. Olá, Beto, que linda prosa poética, que doçura. Claro que sempre pensamos na infância, e voltamos a pensar sempre de tão diferente que foi. Mas o bom também é nunca nos separarmos da criança que veio junto, que não nos larga, que bom rirmos a valer, deixar correr essa criança!
    Conheço algumas pessoas que não trazem junto a criança que foram, que pena, são tão sérias, tão formais, tão desinteressantes!! Oxalá conserve a minha...
    Beijo, querido amigo, um texto cheio de ternura. Cuide-se.

    ResponderExcluir
  22. Beto,
    Mais uma bela publicação.
    Gosto de ler e refletir e
    vou sempre lembra-lhe isso.
    Quanto as ilustrações: são
    maravilhosas, redigo.
    Bjins de boa nova semana
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  23. Pena que nem sempre deixem uma criança ser menino...pena que lhe tirem a feliz e encantadora sensação de se sentir rei, pois é assim que toda a criança feliz se sente, uma criança que cresce construindo o seu mundo a cada passo que dá, sonhando um dia continuar a " ser rei " ; no entanto, na sua caminhada, vai ficando desiludido, desencantado com o reino que lhe permitem construir; mas, continua, firme em guardar " a sete chaves " no seu mais profundo eu, aquelas perolas preciosas dos seus sonhos de menino rei; serão elas que o incentiverão a continuar a sonhar com aquele reino de belezas pequenas, gestos delicados, amores misturados aos desalentos próprios da vida; com essas pérolas terá a certeza que a liberdade de ver e escrever poesia, mesmo a meio de todos os prantos do mundo ninguém a tirará dele. Saudades imensas que nos fazem caminhar, sempre com esperança, querido Amigo. Esperança também nos dá, estes escritos tão poéticos, de uma ternura imensa, como são os teus, Beto. Muito obrigada e, fica bem, com SAÚDE e FÉ. Beijinhos
    Emilia

    ResponderExcluir
  24. Gostei de reler este seu excelente texto.
    Bom fim de semana, caro amigo Beto.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  25. Boa noite de paz, amigo Beto!
    Você está bem?
    Tomara que sim, longe do vírus cruel!
    Tenha dias abençoados!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  26. Creio haver muito tempo que por aqui não passava...

    Hei-de voltar!

    Saudações poéticas!

    ResponderExcluir
  27. Olá, Beto! Bom dia! Li o seu lindo texto poético e te parabenizo por esta forma e terna e bela de você escrever! Também agradeço a sua visita em meu blog! Deus te cubra de bênçãos e beleza sem par! Desculpe-me por minha ausência! Abraços

    ResponderExcluir
  28. Boa tarde Betonicou!
    Escreve com tanta sensibilidade e emoção.
    Um doce abracinho.🌼🌻🌼
    Megy Maia🌈

    ResponderExcluir

people of the world comment if to like… important for the development of this work…