Powered By Blogger

Páginas

curvas, retas e esquinas

terça-feira, 13 de julho de 2021

Andança © Copyright

 


A vida tem lá seus diferentes encantos. Uns doces, uns amargos, feitos chocolates, a nos viciar e, ou a nos ludibriar o fel com doçuras. Às vezes debruço-me sobre a janela feita de extinções que, é minha imaginação retrógada, de uma lembrança escondida num canto de uma sala vazia. Havia o terreiro com seus fios esticados, onde se penduravam as cores que um dia seriam faixas mortuárias de uma tênue humanidade. Havia uma prateleira repleta de sorrisos vazios, outra, esbanjava risos abertos de palhaços viciados em sorrisos construídos. Era pão, aquela massa torrada a me preencher o vazio da fome e, era nuvem, aquela lisérgica viajem a encher-me o estomago de, borboletas, feitas para voarem as minhas ilusões. São transeuntes, as memorias divagantes, soltas, a perambularem a esmo pelo ar. A vida segue, tão distinta e, os passos, trilham seus caminhos em ruas bifurcadas: a fim de se encontrarem, de se calçarem   e, de se amarrarem, em entrelaçadas e continuas vivencias.  (Betonicou)

Arte: Iban Barrenetxa

Responderei caso for necessário. .

 
  

17 comentários:

  1. Memórias que os longos dias da pandemia evocam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, na verdade, esse texto foi escrito em 2019 para fazer parte da coletânea " Humanidade" publicada pela a academia de letras de minha cidade, mas essa pandemia , também traz lembranças de tempos melhores. Grande abraço.

      Excluir
  2. Maravilhosas divagações...A vida é mesmo assim..Surpresas doces, alegres, salgadas e de fel... Saibamos cada uma delas vivenciar e continuar a seguir...abração,chica

    ResponderExcluir
  3. Olá, amigo Betonicou!
    Impressionante como o poeta transforma a dura realidade em versos, textos poéticos e similares.
    Borboletas esvoaçantes pairam no 💙 dos sensíveis, embora vivamos amordaçados pela atualidade dura e petrificante.
    Tenha dias abençoados!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  4. Memórias de objectos, pessoas, afectos e caminhos. Tantas vezes vida, tantas vezes desejo, tantas vezes alegria ou mágoa. Muito belo, o texto.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Pensei que o poeta fosse rir com o
    meu texto, mas quem acabou rindo fui
    eu. Com o comentário é bom que se diga.
    Um abraço, meu amigo. Boa noite também.

    ResponderExcluir
  6. Belíssimo texto, querido amigo, na verdade tua poesia maravilhosa amenizou um pouco essa vida em que num dia é sofrimento, no outro uma caminhada mais amena; outro frustrações, no outro satisfação e assim segue uma vida nada tão linda, com gente que conhece apenas o sofrimento, a amargura, o desencanto e tanta decepção que vem de tudo que é lado. E não são poucos, basta sairmos na rua que vamos vendo pedaços de sofrimento em cada esquina; mãos estendidas e não atendidas. A vida não se compadece de ninguém, é uma luta diária para boa parte desse planeta conseguir sobreviver. E os mais sortudos, vão levando, foram agraciados, cedo ou tarde resolvem seus problemas, mas também têm lá suas recaídas, assim somos nós, assim é a vida de todos.
    Maravilhoso texto, Beto! Como sempre.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Has vuelto con todo Con lo que eres y trasmites. Has dejado al otro atrás para renacer.Me gusta el actual hombre que leo. Me gusta el chocolate orgásmico que me como a diario. Me gustas tu y tus pensamientos alados abrazos siempre Mucha

    ResponderExcluir
  8. Olá, Beto, gostei muito de ler esse seu prosa poética, com palavras sábias, afeitas à reflexão, donde se extrai beleza e ensinamentos.
    Parabéns!
    Um ótimo final de semana, meu caro Beto.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde Beto. Obrigado por dividir as memórias conosco. E espero que tudo que vivemos ultimamente façam parte da nossa memória e do passado.

    ResponderExcluir
  10. A vida também é feita de lembranças...
    Magnífico texto, gostei imenso.
    Bom fim de semana, caro Beto.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Memorias de um tempo, memórias que se perpetuaram. E no fundo do fundo somos um embornal cheio delas, que vamos contando como as contas de um terço.
    Beleza de construção amigo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Como se o poeta descrevesse uma crise existencial...
    Num registo a que não estamos habituados, foi uma ótima participação, bem dentro do tema.

    Parabéns pelo bom gosto das ilustrações...
    Abraço grande de boa amizade.
    ~~~

    ResponderExcluir
  13. that life.... like ocean...sometimes calm, many times tough ...

    ResponderExcluir
  14. Um texto magnifico, onde a janela da alma se debruça, sobre vivências presentes e passadas, num desfilar e aguarelar de emoções...
    Mais uma pintura poética, absolutamente maravilhosa, por aqui! Adorei ler!
    Beijinho
    Ana

    ResponderExcluir

people of the world comment if to like… important for the development of this work…