Páginas

curvas, retas e esquinas

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Fragilidade © Copyright

Abra os olhos e atente, para as coisas tão delicadas. O sol se desponta e ao redor, as nuvens dançam nas manhãs, tão de repente. Feche os olhos e sinta as brisas na pele áspera ou aveludada. Atente para as razões e as canções que falam tudo, onde o coração, pode ser indiferente …Tudo e´ lindo! Todos os dias são pedaços da vida. Seja sol, ou nuvens no derramar de todas as águas. A vida, é sobre o amor e não sobre os medos da gente. Veja o beija flor, ao lidar com as pétalas tão delicadas! Assim e´ todo amor...são canções, ou dilúvios. São o diz tudo, ou diz nada. São explosões, ou suaves vozes caladas.... Preste toda atenção e veja com seus olhos, o pássaro que sorve da flor tão gentilmente, e a folha que cai e traz a poesia frágil e inocente. Às vezes, eu também reconheço que fecho os olhos por medo e faço das cenas lindas, as paisagens   tão desprezadas.... E as vezes, não escuto canções, por medo de sentir tudo, ou não sentir todo apreço das palavras. E tudo, tem a ver, de como vemos tão desigual.... Sorrisos? Às vezes acalma a dor, mas não cura o medo das promessas...às vezes, a saudade se instala e vira ponte, para as ilusões sonhadas na realidade..., mas uma palavra amor cura a morte, das esquecidas emoções adormecidas, e do barulho das noites mal dormidas e dos despertados dias, tão mal divagados.
By betonicou