Páginas

curvas, retas e esquinas

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Reconstrução © Copyright

Não me ouvirão, pois estou dentro do meu silêncio... mas quero que saibam!  Fui até os vales colher flores e os espinhos me abraçaram. O vento murmurou em meus ouvidos a música que ali mesmo embalou meu sono, e meus olhos, se fecharam para verem dentro de mim mesmo, o que havia além dos olhares físicos...as flores abraçaram minha nudez, enquanto as águas as regavam para fazerem brotarem sob minha pele as suas raízes... O sol brilhava majestoso em minhas retinas, enquanto minhas luas negras fitavam no espelho das águas, a nudez que as flores cobriam. Era um jardim que crescia, e as pétalas coloridas sobre meu corpo seriam as mesmas que enfeitariam a lapide que um dia o guardaria, como lembrança póstuma desse meu mundo...as trepadeiras aproveitavam os caminhos vagos, e se faziam crescer tornando o meu muro  de pedra, um tapete de folhas de esperanças... e os pássaros faziam seus ninhos dos espinhos deixando apenas as flores que também protegiam-me  do meu próprio frio... Não quero que me ouçam , mas apenas fui ao vale colher minha próprias flores do silencio e minha alma abraçou aquele  mundo, enquanto as águas lavavam o grito que teimava em ecoar em  minhas montanhas... E o mundo, não ouviu o meu pisar sobre os gravetos secos, e enquanto meus espinhos serviam de casa para o descansar das asas brancas de pequenos anjos,  eu sonhava a minha história, no silêncio de minha alma. By betonicou

8 comentários:

  1. Querido amigo lindo poeta!
    Estou de volta com meu Blog e fiquei feliz em ver o novo visual do seu cantinho! Ficou lindo! Parabéns!
    Seus poemas como sempre refletem a natureza, afinal, viemos dela né? Faz todo sentido poetizar assim. Adorei a última parte que vc diz: e quando meus espinhos serviam de casa para o descansar das asas brancas de pequenos anjos, eu sonhava a minha história, no silêncio de minha alma. Muito profundo amigo! Muito penetrante!

    ResponderExcluir
  2. Boa noite meu amigo querido!
    Desculpa a demora em vim ler-te. Andei um pouco ausente do blog.Tem dias que a gente só quer ficar em silêncio, quietinha em um canto pensando... é como se nossa alma precisasse silenciar para poder entender o que se passa dentro e fora da gente.

    Adorei o texto!
    Uma reconstrução lindamente escrito.Tua alma é muito bela.
    Muito bom estar aqui descansando o coração nas suas palavras.
    Um feliz mês de março!
    Soprei ao vento uma porção de coisas boas. Espero que chegue ai...
    Beijos e boa semana Beto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida compreendo as lutas corridas dessa vida ! Obrigado por sempre trazer esse carinho! beijos!

      Excluir
  3. Bom dia Beto.
    Meu querido amigo, que poema belo. De tanta forma sentimos os espinhos. Um feliz final de semana. Abraços

    ResponderExcluir
  4. Esto emocionada ao cerca cópia de minh'alma!!! Chorei! Pura emoção... Me vida dentro deste poema!!! Maravilhosa interpretação de amados sentimentos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Professora ! Que prazer imenso te-la por aqui. Fico feliz pela emoção causada pela leitura. Grande beijo e um apetado abraço.

      Excluir

people of the world comment if to like… important for the development of this work…