Páginas

curvas, retas e esquinas

domingo, 27 de novembro de 2016

Orvalho © Copyright

Seja como for! Seja a luz dos teus olhos que clareou meu destino. Os teus cabelos loiros ou negros, são fios que entrelaçam os meus carinhos,  e as estrelas caindo, são de manhã os teus beijos de orvalho, com o cheiro,  e sabor doce das hortelãs. Seja o que for! Se e´ o tempo do meu destino, então me abrace todo, pois a alma pede... e que não seja fraco, e que seja bem devagar. Clareia mais os meus olhos,  nos teus olhos azuis das borboletas que voam acima do meu leito. A minha cama é o nosso divã.... Na sua pele macia, os meus beijos pousam e acariciam,  e tudo basta  para sentir,  sem ser preciso entender. É esse amor, a luz que sinto,  e que nem o tempo apaga, ou apagou o destino. Aquele, em  que se dão as mãos e caminham felizes.  Lutar, talvez seja preciso, e mudar e florescer, para acontecer se preciso for...As estrelas não caem! Apenas são nossos fogos que estouram no noturno céu... E essas nos cobrem com as mãos macias, como aveludadas pétalas. O céu tão nublado,  de nuvens de amor deságua enfim! Os céus tão estrelados de flor consagro a ti! Isso é amor e não se escolhe.... Apenas acolhe e colha, o que plantou em mim.