Páginas

curvas, retas e esquinas

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Louca melodia © Copyright

Canta passarinho, e  cante com voz inocente  ao vento. Gorjeia
Todas as notas contidas, e recolha desse ar, a beleza no peito.
Sinta até as notas fúnebres, e as transforme num canto de criança.
Cante todas as preces,  e cante aquela que dê conforto e esperança.
 E  hoje,  eu  acordei com os pardais, e reverenciei a luz que nascia
para todos mortais. Pedi, até uma prece adormecida nos bicos silenciosos....
Pedi ao calado,  silêncio cantante, e me encantei com os gestos racionais.
Por que tu me cantas a lembrança, oh falsa esperança nos bicos dos
rouxinóis?! Eu vi meus restos emocionais espalhados nas águas dos
baixos e escondidos lençóis. Canta àquela prece, mas cale a voz da
da música iludida... aquela que teima em musicar a dor incontida.
Gorjeiem os pássaros ocultos  por entre as árvores, para que não
descubram, toda aquela paixão escondida. Porque o passado,  sempre
vem no presente buscar,  todo aquele" blues " dos perdidos. Então cante
a melancolia, e cante os bemóis aflitos,  porém, perdidamente tão bonitos ! 
Porque a saudade, e´ o tempo para passeios  naquela inocência  perdida!
Não o tempo das recordações, das paisagens destruídas, ou meramente
diluídas. Cante a poesia dos cegos, pois esses podem ver um mundo pintado de confiança.
Cante a poesia dos mudos, aquela voz calada, até diante da louca e tola
lembrança. By betonicou