Páginas

curvas, retas e esquinas

sexta-feira, 29 de julho de 2016

silêncio memorial © Copyright


Eu penso na menina de tranças, com suas flores feito sardas pálidas. Penso solto e as lembranças vagueiam nas nuvens, feito emoções sempre cálidas. Vejo de minhas janelas, os acenos das saudades gasosas. Apego-me nas brisas que se foram e minhas narinas, ainda sentem o perfume das flores cheirosas. Eu penso nos calafrios na pele, mas não são do frio das palavras dos sentimentos gélidos... Eu sinto tantos arrepios, nas lembradas pegadas nuas e singelas... porém, não fora de decoros válidos. Eu penso na moça, sempre lembrada no andar das rotas de minhas vias não alteradas. Eu me vejo reescrevendo, com as linhas dos olhares nas curvas que as vezes, por mim passam, tão lindas e delicadas. As flores violetas enfeitam de roxo, o morto de minhas cenas passadas. Lá estão as flores brancas acenando ao vento, a todo tempo, em um adeus à saudade, até então estacionada...  Essas, são ruas presas aos delírios que divagam, em minhas vãs e pesadas passadas.... Meus pensamentos se turvam e de minha boca saem as palavras sem som, de minhas ansiedades caladas.  É o silencio, o grito ecoado das minhas internas vozes   refugiadas .... São das minhas retinas,  as paisagens da moça decorosa. São dos meus olhares, a vista da saudade escondida e silenciosa. 
By betonicou