Páginas

curvas, retas e esquinas

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Amor calado © Copyright


Tanto vento e você lá fora, para o destino levar, seja para onde for.
Esse vento vai passar! Aliás, tudo já se foi. Percebi, que passou tudo...
Tenha zelo  lá fora!  As estrelas estão caindo e outro sol pode escurecer...
Minhas razões são "eus" aprimorados. Voar agora, somente no sagrado, ou
Nas asas de um beija flor. Não vi enegrecer, nem o inverno que chegou. Não vi
Quando a inocência se desfez e nem vi, quando o meu eco se fez mudo...
Nem as razões dos meus versos puderem fazer, a chuva passar... e quando  
As estrelas caíram eu guardei o sol, para aquecer o seu mundo.
Nem toda a simpatia compraram, as notas certas, pra poder cantar.
Tudo que morre é plantado.... São sementes de cuidados, para germinar uma
Outra flor. Um novo sol se tudo escurecer, um outro dia, para poder chegar.
Uma nova poesia para escrever e uma nova luz, para poder brilhar.
Um outro jardim para os meus versos, que são notas, para poder cantar.
Um novo chão para caminhar e um novo som, para aqueles ecos, que se fizeram
Mudos. Tantas lembranças, são cuidados, que a alma guarda, para poder lembrar.
E tudo é viver sem recados, enquanto minha voz desnuda, os meus versos, para
Poder falar. Vejo o tempo que se cumpriu e a espera que perdoou... Vejo o mundo  
Que caiu e o mundo, que se levantou. Tudo se calou e deixou de chorar, todo   
Aquele luto, que se  fez mudo...
By betonicou