Páginas

curvas, retas e esquinas

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Satisfação © Copyright

Sorria por favor! Sorria meu eu, tão gentilmente. Sorria uma canção, e cante de novo uma risada. Ria das loucuras, desse eu tão impune e imprudente, e faça do horizonte, uma luz que sinalize toda a reta estrada. Sorria leve, como o voo do beija flor. Sorria macio, como as flores lindas tão visitadas. Sorria uma canção! Sorria uma alegria, mui digna de gargalhadas. Sorria o fechado coração, bem leve. sorria um pulsar tão gentilmente. Sorria um novo horizonte, destes que brilham um sol, e faz brilhar todo o rosto da gente. Derrame-se sobre nós a chuva, uma de pingos de pétalas tão delicadas. A vida é como as flores de lírios, de belezas tão fortes e fragilizadas. Aventure-se nas questões, e que sejam elas, das maneiras amenas, ou as transloucadas. Sorria todos os riscos, pois a vida, às vezes são aventuras tão arriscadas. Sorria com teus olhos todas as cenas pegas, e as que ficaram cristalizadas. Sorria, pois tudo é como o dia que amanhece novo, pleno, originariamente. Sorria a noite tão escura, pois essa, também esconde aquilo que nos é deprimente... Sorria, mas veja com teus olhos, e também escute o que a vida nos ensina dos becos, de modo tão paciente, pois de estreito, já nos bastam as dores das paixões tão aguçadas. Sorria de todas as ocasiões desajustadas, porque nem tudo é para sempre, nem as bandeiras que levantamos para as lutas mal guerreadas. Sorria! A vida pede brilho, e o sorriso manifesta tudo tão levemente. Nem tudo e´ deprimente!  Na vida existe amor, e sempre ocorre lindo, e naturalmente; sem as horas marcadas. A vida pede mesmo e’ um sorriso de amor, para ajustar as ocasiões tão mal fraseadas, e desesperadas.





By betonicou