Páginas

curvas, retas e esquinas

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Coração aberto © Copyright


Podemos até ficar atrapalhados, nos sentir  de qualquer jeito...
Se desculpar por não ter exposto todo aquele nosso defeito...
Podemos até agir errado, pode ser até porque alguém não deixou!
E desculparmos por ter infernizado, aquele céu que nossa boca beijou...
Podemos nos atrapalhar, e fazer chover errado... São águas, são vários jeitos...
E desculpar por sentir calado... São ventos fortes, e nunca são direitos...
São tantas situações!  E sempre vêm as coisas não necessitadas...
 Pode ser que precisemos apelar para as causas, e situações inusitadas...
E essas ruas curvas, que se contorcem por onde às vezes trafegamos?!
Entregando-nos, e do suor de algum amor, às vezes, nos embriagamos.
Pode ser que nem sejamos fracos... Apenas a fragilidade das folhas de outono...
Às vezes, somos como essas poesias desgarradas, à espera de novo dono. ´
Mas com certeza, todos somos sementes, que fazem toda a diferença da estação!
 São essas belezas sortidas, à espera de um novo e fértil chão.
Podemos até chorar calados, para que ninguém perceba as lágrimas, e seu som...
E no amor pulsar acelerado, desgovernado, ritmado acima do tom.
Mas por onde andamos podemos deixar as cores do amor serem destacadas.
Por onde passamos podemos deixar, todas as dores passageiras, disfarçadas...
By betonicou