Páginas

curvas, retas e esquinas

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Raízes © Copyright



Estamos todos a sós!  E também as matas e os curiós. Somos
Brisas, tão perdidas nos caminhos e o que nos resta, são os traços
Desse desassossego... Há fumaça onde eu moro e não há fogo
Sob o cozido, mas há calor na morada da paz e cada um, num
Canto canta,  o que não esta de  tudo perdido...

Estamos tristonhos de dó, porem o sentimento é um só... estamos
Tão sentidos no desalento.... tiram-nos a paz e roubam-nos, o
 Nosso sustento... Vejam as matas, onde nascem nossos ribeiros.
Somos ribeirinhos, de todas as casas; Filhos dos mesmos canteiros !
Entoamos, os mesmos cânticos de piedade... E a temporada das
Queimadas que matam em nossos quintais abriram-se... Queimam
Sem dó, os nossos celeiros.

É um sonho de dó, esse que acompanha nossos a sós... Feito
 Um sonho desaparecido.... Feito as Marias fumaças que trilhavam
Lindas,  num vagar bem ligeiro. Ainda matam, nossas matas e secam
Nossas lágrimas e encurtam nossas cachoeiras; fazendo do árido,
O triste roteiro... Nossos sentimentos e nossos sonhos são podados
Por inteiro... Somos as flores secas, dos antes lindos campos de girassóis!
E o que nasce e envermelha os nossos olhos, é um choro molhado
Pelo azedo, tosco e negro nevoeiro.

Há uma febre,  e essa não passa.... Há delírios, de esperança nos terreiros!
Pois  ainda temos a certeza que o sofreu canta e gorjeia ; o que todos sofremos...
E os nossos sonhos são verdadeiros ! É essa esperança que nos mata de saudades,
Nessas nossas trincheiras...  E ainda fazem frios, os nossos lenções e queimam
Nossos pendões, por suas próprias e negras bandeiras!  Porem, ainda nasce
 A água clara e doce ribeira. É a consciência que brilha  em todos nós,  no azul
De nossa verdadeira fé estradeira... Pois somos, todos molhados e regados, pela
 Imponente, pura e sagrada natureza brasileira...
By betonicou

17 comentários:

  1. Excelente! Sempre com esmero quando escreve. Meus parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Adalberto,
    a qualidade de sua produção literária acontece, porque você escreve com a alma e penetra os recônditos do coração dos leitores. Impossível ler os seus textos e não ficar sensibilizado.

    ResponderExcluir
  3. Viu, meu amigo? Aos poucos, vou fazendo as visitas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz você por aqui grande amigo ! Agradeço sua ilustre presença grande professor ! Acho muito bom deixar a alma escolher os caminhos por onde a escrita deve desbravar ... Abraçosssss

      Excluir
  4. Querido amigo, você desnudou a alma de todos nós e descreveu os nossos sentimentos. Mas, foi bom perceber, que no final há uma esperança de tempos melhores. Quem viver, verá!
    Betonicou, grande beijo!!!

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Beto.
    Um belo poema, escrito com os sentimentos da alma em busca de temos melhores, sempre devemos preservar a esperança, um lindo final de semana
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá Beto, caro amigo poeta!
    Boa noite!
    Muito bonita essa duas imagens. Casou tão bem com o texto, o qual foi escrito lindamente. Falaste tão bem sobre a condição e o sentimento do nosso povo. Finalizou perfeitamente...
    Isso é o que ainda nos move... Fé e esperança!
    Teus escritos é de encher os olhos, difícil ler seus escritos e não emocionar. A qualidade dos textos faz-me enxergar a beleza da sua alma. Tu és poeta de alma e coração!

    Beijos e um punhado de sorriso.
    Um ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  7. Bom dia Beto.
    Vim hoje lhe desejar uma prospera semana e feliz més de setembro. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Lindo texto...Estamos... as vezes á deriva poeta. Feliz setembro, bjks da Sô

    ResponderExcluir
  9. Mais uma vez, dando o ar da graça! Bom, muito bom estar aqui e respirar um pouco de poesia, porquanto ela nos faz bem, cria em nós outros universos e nos transporta a contextos diversos que nos permite possibilidades diversificadas de leituras e releituras.

    ResponderExcluir
  10. Relendo esse seu poema, tiro as seguintes conclusões: todo ser humano é um eterno solitário e é neste momento de solidão que ele trava uma luta no seu próprio eu, porque acontece a reflexão e uma tomada de consciência de tudo aquilo que está ao seu redor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade não houve luta nenhuma Luiz ... Houve sim um belo momento reflexivo ouvindo uma bela musica regional . gosto de ouvir musica enquanto escrevo, e às vezes amigo nem sei qual o tema que vou escrever; Simplesmente me deixo levar e deixo a alma e o coração fazer o resto ...Então não houve solidão , e sim interação com tudo e com todos ...Mas poesia e' assim mesmo, tipo um quadro abstrato onde todos são livres para interpreta-lo ...Um grande abraço e muito feliz com a sua presença por aqui ok

      Excluir
  11. Acontece que transcendo quando leio poesia e me transporto para um universo metafísico, detenho-me sempre nas entrelinhas.

    ResponderExcluir
  12. Realmente profundas palavras meu amigo!
    Brasil, nossa terra, nossa raíz!
    Puro sentimento, isso que chamo de vida em palavras!
    Beijos e já estando de blog novo.

    ResponderExcluir
  13. QUE SAUDOSAS SE NOS TORNARAM AS MATAS E AS CACHOEIRAS...UMA ODE À DESTRUIÇÃO DE NOSSOS RIOS, CACHOEIRAS E MATAS.... MAIS UMA VEZ, FALA O CORAÇÃO NATIVO DE ADALBERTO BETANICOU, E EU RECOMENDO ATENTA LEITURA!!!

    ResponderExcluir
  14. Meu tão querido amigo poeta Beto, não tem como não lhe agradecer pelo carinho em meu cantinho, como já comentei aqui, venho agradecer e dizer que fiquei muito feliz e é uma honra para mim um poeta como você ter apreciando meu Sintonizando Palavras. Seja sempre muito bem-vindo...
    Beijos no seu coração lindo.

    ResponderExcluir
  15. OI BETONICOU!
    UM ALERTA, UM DESABAFO, UMA DENÚNCIA...
    LINDO DEMAIS AMIGO.
    ABRÇS
    -http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

people of the world comment if to like… important for the development of this work…