Páginas

curvas, retas e esquinas

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Jardins de pedra © Copyright

Era uma árvore de sombras frescas.  Eram sombras
Descansadas de uma árvore... Era a paisagem, essa
Frondosa filha da natureza. Era uma bandeira verde,
Sobre a montanha branca de mármore. Era uma árvore
De frutos, dessas de pencas rasteiras; banhados por gotas
De orvalho. Era imponente lá na serra; Aquela árvore.
Parecia uma montanha de carvalho. Meu corpo descansa
Debruçado na superfície fria da madeira... Porem, meus olhos já
Não viam mais o motivo da minha saudade. Lá na serra havia
Um ser de madeira, e eu sou seu órfão na minha maturidade...
 Sou órfão das minhas lindas lembranças... Sou órfão de quem
Habitava aquela terra, onde morava o motivo das minhas matutinas
Visões... Sou órfão de tudo que a criança via ; sou filho das recordações.
Aquela serra, era o meu quadro, era o enfeite da minha inocência...
Aquela árvore,  se punha sobre a pedra fria e supria a minha carência.
A minha janela emoldurava aquele quadro a céu aberto e o meu 
Inocente olhar imaginava, o para sempre... que nem sempre e’ certo.
Eu me lembro das ruas singelas, aquele chão de barro vermelho.
Eu me lembro, de todas as flores que cobriam aquela serra por inteiro.
La na serra habitava a nobreza, na forma de uma árvore... Hoje, lá na serra
Habita a insana pobreza dos edifícios sem vida... A frieza mórbida
Do mármore.
By betonicou

16 comentários:

  1. Quando a evolução se veste de mármore e impõe sua presença, a natureza se retira humildemente...
    Belo poema, muito nas entrelinhas.
    Betonicou, beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E a evolução nos tira belas lembranças Shirley ! beijos e obrigado pela gentileza !

      Excluir
  2. Olá amigo,
    Que bom que voltou! Muito obrigada pela visita e pelo carinhoso comentário!
    Belo poema entre a riqueza e a pobreza refletidas no mármore e na árvore representando a natureza que ao meu ver está se acabando. Muito bem criativo.
    Beijos e fiquei contente com sua volta e presença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom você por aqui Cecilia !Voltamos ! Vez ou outra faço esse pequeno retiro ... Obrigado pelo carinho ! beijosss

      Excluir
  3. Depois de um longo inverno... Volta o Betonicou...kkkkk..
    Brincadeira, as vezes a ausência é necessária..
    As vezes a lembrança nos fazem viajar no tempo, e a frieza do mármore nos fazem ver o que ficou para trás se era bom ou não.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ate que não foi tão longo assim Rute rsrs Pois e' , nosso jardim sendo trocado por jardins de pedra .Beijos e obrigado !

      Excluir
  4. Olá Beto!
    Então, eu andei um pouco distante, ausente de mim, da net rs. Que bom que também esta de volta. Você tem uma forma única e maravilhosa de escrever.
    Seu texto me fez lembrar um lugar que era maravilhoso, eu visitava algum tempo atrás, onde a natureza era o carro chefe. Hoje só mesmo as construções estão de pé. A natureza se foi como poeira aos ventos. Triste fato mais a evolução são necessárias.
    Uma viagem cheia de lembrança.
    Estava com saudade de teus textos, diferentes de tudo o que a gente lê por aí. Aqui há a tua "marca" pessoal, há uma integridade total. Adoro tua página literária e tu sabes bem disso.

    Deixo aqui um suave abraço, daqueles que só a sensibilidade da alma consegue captar.
    Um punhado de sorriso!
    Blog da Smareis- É só clicar aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Smareis minha queridíssima ! Saudades de você viu ! Compreendo sua ausência, e os ausentes amigos fazem muita falta ...Obrigado pos estar aqui na sua volta ! Esse texto retrata um pouco a minha infância, e porque não a de muitos ?! Recebo com a alegria da alma teu abraço e teus sorrisos ! beijossss

      Excluir
  5. OI BETONICOU!
    VERDADE, NOS LEVASTE A DEVANEIOS, FOMOS AO ENCONTRO DE NOSSA INFÂNCIA, ONDE VÍAMOS A VIDA PELA MOLDURA DA JANELA E UMA ÁRVORE, ERA UMA AMIGA. O BARRO VERMELHO DA SERRA E TUDO O MAIS.
    NÃO HÁ O QUE DIZER A NÃO SER, TEU TEXTO É " " MARAVILHOSO ".
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Zilani Célia ! Essa lembranças são mito preciosas para nossa maturidade não e' mesmo ? Abraços e beijos !

    ResponderExcluir
  7. Olá Beto caro poeta!
    Tudo bem contigo? Ando na melhora, o sol apareceu, dei um chute na gripe e lá vamos nós... A vida é mágica inteiramente inexplicável.
    Compartilhei um texto por lá, na próxima tem texto meu. A minha alma anda meio que preguiçosa, só quer navegar, voar, voar... Há hoje em mim uma pitada de infinito rsrsrs!
    Desejo um excelente mês, uma excelente semana. Deixo um suave abraço, daqueles que só a sensibilidade da alma consegue captar.
    Um Beijos!
    Até breve poeta!

    ResponderExcluir
  8. Como sempre você gentil com suas palavras e adorei saber que você curtiu meu cantinho tão simples, porém dedicado amigo Beto.
    Muito obrigada pelo carinho e ótimo Domingo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Li novamente esse belo poema, Betonicou e concordo com você : somos filhos das recordações...
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Betonicou, tudo bom? Desejo-lhe , uma ótima semana. Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Betonicou, tudo bom? Desejo-lhe , uma ótima semana. Beijos

    ResponderExcluir
  12. OI BETONICOU!
    COMO JÁ COMENTEI AQUI, HOJE PASSO PARA TE DESEJAR UM ÓTIMO RESTO DE SEMANA.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

people of the world comment if to like… important for the development of this work…