Páginas

curvas, retas e esquinas

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Meninas de rapina © Copyright

São irmãs,  essas meninas dos meus olhos.
Duas retinas,  teimosas por teus olhares
Brilhosos. São dois tinos acabrunhados,
São duas estrelas, com os cios inflamados ...
São duas estrelas desvestidas, sem véu
 De rodeio... São essas meninas dos meus
Olhos que apontam o meu tolo anseio...
São essas meninas festeiras, brincalhonas,
Desavergonhadas... são as teimosias dos
Olhares, destas minhas retinas desvairadas...
Brincam,  com a minha alma essas tolas e
Fogosas irmãs... Adentram,  tudo por entre
 Suas frestas.  Tolas janelas verdes das hortelãs...
Remexem tudo há sua volta, e importam,
Para o meu desespero... são essas  meninas
Das rotinas cansadas, dos meus tolos, mas
 Porem, fugazes exageros... São dois sinos
 Que perturbam a paz de minha alma... São
Duas batidas que descompassam o equilíbrio
Da minha calma...São dois faróis, com seus brilhos
Abrasados... São duas irmãs meninas, de corações,
Com pulsar acelerados... São meus olhos de olhares
aguçados, não pudicos e exagerados...São irmãs,  essas retinas
Que descompassam toda  minha rotina...  São esses
Olhares,   de  minhas meninas.  Minhas oculares
aves de  rapina...By betonicou

2 comentários:

  1. Dizem que os olhos são janelas da alma! Eu digo mais, os olhos são asas da poesia. São pequenos brilhantes, que nos revelam em tudo.
    Amo olhares, "não deixe de cruzar, o teu olhar com o meu", diz a música da Paula Toller, eu nunca perco uma oportunidade! bjsssssssssssss

    ResponderExcluir

people of the world comment if to like… important for the development of this work…