Páginas

curvas, retas e esquinas

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Descompasso . © Copyright

Meus pensamentos voam, e meus pés , se prendem ao chão,
Como chumbo enraizado... Minhas memorias vagam num
Assombro interno de tolerância, ao desejo estancado...
A alma clama um consolo, enquanto os olhos chovem o
Desconsolo... O coração grita o desespero , do silencio
Desfigurado... Na incerteza, bate um acorde descompassado...
Porem, a minha alma será lavado pelas águas de um sossego...
E’ o infinito que rege este súdito momento de aconchego...
São minhas etapas da vida, são meus momentos retos  e  tortos...
São meus choros às escondidas, são minhas alegrias, onde
Faço, e refaço todos os meus portos...
A vida pede proteção, e aos meus olhos dar-se uma visão...
De um abraço, um beijo; Desses de deixar sem folego, e aflito...
Mas que nos deixa, sem a visão abstrata de um surto de
Delírio... Neste vago momento eu habito... São situações de
Uma vida, de meus pensamentos divagantes escondidos...
E quero deixar para trás , esses momentos tolos, no passado
Diluídos... A alegria pede proteção, e todos os sonhos, mostram
A nudez de uma visão... O de voar pelos ares de meus sonhos,
Como um anjo destemido... E não ficar esparramado num chão
De abandono, como um pássaro ferido... O espaço de infinito,
Clama para mim um lado desapego... A minha alma será lavada
Pelas águas do sossego...
By betonicou