Páginas

curvas, retas e esquinas

sábado, 31 de agosto de 2013

Entrega .© Copyright

E’ inverno, e os ventos choram seus ares gelados.
E essas mãos amigas dão-me o toque de sossego.
E’ interno esse toque, e batuque, agora acelerados.
Esta rosa me intriga, cravando em meu peito seus espetos...

Este retumbar de tambor que bate forte no coração
São as ondas que vagam na minha intenção de dizer não
Se e’ alegria, ou tristeza, que trago outra vez na incerteza,
Ou nesta vida, numa bandeja, seja outra vez a minha questão...

E’ inverno, e o vento gelado, bate mais uma vez nas minhas sensações...
 Porem, teus abraços trazem outra vez ,o calor das recordações.
Tuas flores guardadas... Desabrocham em desejos outra vez, trazendo
 À tona, todos aqueles desejos das quentes estações...

Desatino o meu jeito de ser nas certezas de ter... Quando desabo
No teu jeito "Eva" de ser... Isso se impõe a todas as minhas razões...
São espinhos de gelo ... Porem, são flores vermelhas das paixões...
E’ estação do gelo, mesclada na tua primavera de mulher...
São ventos de inverno, sussurrando aos ouvidos de quem quer...

E’ vento gelado, soprando mais uma vez nesta faceta  de ilusão...
Se e’ mentira ou verdade, talvez...  Essa falsa, ou verdadeira,
Corrente de amor... Se nesses rios negros  navego outra vez, com certeza , 
 Na intenção de tua estação... Não quero mais o naufrágio, seja para

O teu ou meu agrado... Seja para onde eu for.




By betonicou

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Visão de otica .. © Copyright

São imagens, fantasias, e certezas... São aquarelas coloridas...
São espelhos de vidas refletidas... São folhas com as caras estampadas,
São ate edifícios vazios; mas que transbordam de belezas ilustradas.
É imagens coloridas, que fazem do negro uma beleza infinita...
São os negros destas folhas estampadas, com a arte deduzida e bendita...
São realidades num mundo que faz sonhar... E’ a pura realidade
Desta singela arte de retratar... São retratos abstratos, normais ou inusitados...
 São folhas com sonhos, e acontecimentos guardados... Podem ate serem imagens
Embaçadas, mas nunca perdem a magia de suas eras... São lembranças
Envelhecidas, mas ainda assim, repletas de belezas estratosferas.
São essas imagens, que perpetuam nossas lembranças desnudas e cruas...
São essas lembranças, que são herança para as retinas futuras...
São esses reflexos, que por olhos de cristal, são capitados... São os nossos
Olhos representados neste fotográfico mundo, dos objetos e cenas admirados...
Fotografia são reflexos da alma que o artista extrai dos objetos...
Fotografia é a vida posta no papel original como pretextos;
Ou nos megapixels de um monitor digital, num flash de contextos...
Fotografia é a artística vida retratada por uma sensibilidade extrovertida.
Fotografia, e’ brincar como criança, e’ um momento de vida, pra lá de divertida...                                                                              
                                                                                                                             Texto gentilmente cedido para o amigo artista capitador de imagens :  Kalil Felix Pena.  By betonicou

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Questões .© Copyright

Pensei que era só voar, sem caminhos no ar, só
Pelas nuvens de duvidas, pude navegar, e flutuei...
Sozinho, nessa onda azul flutuou em prantos de gotas ,
 Todas as minhas questões ... Antes de naufragar neste mar...
São os caminhos que pude encontrar neste labirinto...
São os vários sabores, antes de embriagar-me de absinto.
Pensei que era só questionar as questões, mas desfiz de
Mim todas as razões antes mesmo, do eu poder ser eu...
São as pulsações que regem, os meus ritmos... São as vis
Paixões, que batem a porta do desejoso momento meu ...
São as correntezas de minhas veias, que transbordam
Este meu coração, agora tão cheio do sentimento vazio...
São sementes de estrelas que caem em meu jardim deserto de cio ...
E’ a certeza deste sorriso, que abranda todo esse meu tom
Vibrante e febril... E’ poesia tornando-se razão e pureza...
Pensei que era só voar por entre as nuvens, nesse ar azul
Anil... Só por um caminho andei, e voei por correntes de ar...
 Em ventos de incertezas...  Mas me encontrei nos versos sutis...
Reencontrei-me nas certezas das incertezas, puramente juvenis.
Havia perdido o meu eu, havia chorado todos os prantos, para
Aplacar meus desertos débeis ... vasculhei todas as minhas lembranças
 Para reencontrar os caminhos Férteis... O cinza ,deu lugar ao azul;
E meu jardim, em flores brotou, nos lugares antes estéreis...
By betonicou

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Ventos de ternura .© Copyright

Quando o amor vem tocar minha alma, E gritando gostar



De mim, o vento vem... E o amor cheio de belas notas,
Toca a musica, que ao meu peito convém...  E quando brisa bate com
Suavidade a minha porta; Quando vem a minha sorte, toca forte,
Tudo num breve tocar de nota... Almejo toda a minha sorte
Tocar a canção, que o meu sonhar de corpo, e alma importa...

Quando o amor, e’ a voz que reaviva o jeito frio de ser...
Faz brotar em terra seca, um novo viver... Faz brotar desta pedra flores e 
Todas as águas, deste meu jeito duro, e seco de amores...
Faz brotar todos os sonhos, que neste mar de nuvens, nos deixamos levar...
Fez-me um anjo de asas claras, para no amor poder voltar a voar... 
 Fez de mim, um novo jeito puro, para  o amor , poder recordar...

Quando o amor caiu em meus braços fracos, forte fiquei...
E o forte deste amor, e’ a fraqueza que no mundo trilhei ...
Caminhei por trilhos sombrios, onde o sombrear ofuscava o
Meu ver... Chegou abraçando a minha alma, fazendo-me de novo,
Este amor querer... Fez de mim, o presente, onde nas lembranças,
 Minha alma, e sonhos vagavam... Deu a mim, a luz de esperança,

Que meus olhos claros  tanto clamavam...

Quando chegou o amor, fez num vento forte, o meu mundo girar...
Fez-me novas emoções, e   no singelo ...  Fez-me  logo  descansar.
Quando chegou por inteiro, fez-me todo... Pois a metade faltava...
Fez-me farto de realidades, pois nas lembranças, meu olhar de lagrimas vagava ...
Fez de novo o  meu jeito singelo... Pois na sorte deste amor, viajo o meu eu no eterno ...

By betonicou