Páginas

curvas, retas e esquinas

sábado, 1 de junho de 2013

Dissonâncias de Apia ...© Copyright

Cantam-se os lindos versos de poesia.


Canta-se em timbres baixos de agonia...
Cantam-se acordes plenos na liturgia...
Canta o belo soprano de Maria.
Cantam-se nos umbrais, acordes de
Boas vindas... Cantam-se no altar os
Cânticos das romarias... Cantam-se,
Remédios para todos os sons profanos...
Versos evocam as alegrias, na canção
Dos diáfanos... Via Apia, e seus cânticos de
Guerra... Via láctea, acima da atmosfera...
Mas há caminhos para os tons ,  e os acordes  
Suaves ,das flores de Primavera...

Cantam os choros das crianças, agora
 Adormecidas. Cantam os brotos, que
Adentraram suas vidas... Cantam as
Sementes que brotaram um dia. Cantam
 Os bendizentes, que voam nas asas das
 Das calmarias... Canta este ar, embargado
 De nostalgias... Cantam as matas em gorjeios,
Que se derretem em lagrimas pelas colinas... 
  Cantam as vozes das melancolias... Cantam
As vozes roucas nos canteiros... Roucas de
 Chorar a miséria... Entoam seus timbres os
Corais, esses faceiros... Onde as vozes
Navegam em velas singelas...

Vertem as águas para os ribeiros, nascem
Os jorros dos riachos ligeiros... Que se
Desafogam, nestes mares de todos os
Marinheiros. Cantam as flores que são
Tocadas pelo vento... Cantam as estrelas,
Que desabrocham no firmamento.
Canta de alegria, mesmo a criança sem
Alimento... Cantam todas as vozes de colo... 
No doce colo de acalento... Canta este mundo,
Tanto na fartura, ou na miséria... Cantam todas
As alegrias pintadas, nas coloridas, ou negras
Aquarelas... Cantam todas as vidas, a espera da
Morte... Nascem todos os cânticos, nas vozes
Sopranos, ou baixas da sorte...
 Bybetonicou