Páginas

curvas, retas e esquinas

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Versos antagônicos...© Copyright





Versos de paixão são desfrutáveis e  são deploráveis.
São águas para a semente do cio... Versos de paixão
São revogáveis, mas são aceitáveis... São chaves para
Um buraco vazio... Versos de dor são escutáveis... São
Dementes... São frases ditas,  em tom iludido... Versos
De amor são flores, às vezes  para os inconsequentes...
Vejo a dor, nesse amor que foi preciso ser vasculhado
Nas ilusões de um rio perdido... Vejo querendo o amor,
Nessa dor inflamável... Um sofrível desejo escondido...
 Porem o amor, e’ criança rindo em repetidos estribilhos...
Canta  atroz o mórbido desejo, de amar o vazio sem
Brilhos... Versos de choros por amar na demência, de
Querer ser amado... Versos de dor por chorar,  o vazio
Demente abandonado... O que vem a ser o gostar, se o
Espaço e’ vazio demais?!O que será do espaço vazio, se
O amar e’ repleto demais?! Entoam aos ares, os cantantes
Amores plausíveis... Esquecem-se,  nas dores, nas ilusões
Desprezíveis... Porem, o amor se perde nos versos jogados
Ao ar da decadência... Porem, a dor se perde, quando se
 Acha no amor pura inocência... E entoam seus versos, os
 Menestréis que amaram demais... E entornam seus  
Venenos, os boêmios que desfrutaram, e destilaram a
  Peçonha da paixão e não amaram jamais! Versos de
 Dor são frutos, da vazia desconfiança... Versos de   
Amor são palavras divertidas... Brincadeiras puras de
Criança... Revejo a dor de amar... Retenho o dom de sonhar  
De gostar... De preencher o vazio, com o gostar de sonhar...
Versos de amor, e’ erudito, e’ puro sentimento luminar...
Versos de amor são lembranças para os benditos... Para
Sempre jogados ao ar... Este ar que exala, este meu gostar
De amar... De sonhar. Bybetonicou