Páginas

curvas, retas e esquinas

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Vida, pétalas e espinhos...© Copyright


Um rio parado, com peixes cansados para nadar...
Um lobo vazio, sem cio, sem forças para uivar...
Uma rosa branca, vermelha pela vergonha...
Um lírio branco, a elegância que o mundo sonha...
Um louco assobio, pelos muros que o vento sopra.
O rebelde faz a guerra, e a ganância tudo aprova...

Aquela farpa trouxe a dor, e num grito consumou-se a
Angustia... Um sorriso acalma o rancor, e traz prazer, e
Renuncia... Uma fonte verte o néctar que abranda a sede...
Uma sede faz da fonte oráculo onde se aprende...
As aves com seus filhotes e a ternura do ninho...
 Esta sede que se aplaca, com a fuga opaca da taça de vinho...


Há um rio que corre, e vida navega nas correntezas...
Há um uivo que anuncia a chegada, da inocente presa...
Rosas brancas enfeitam a vida sem a diferença da cor...
A ansiedade espelhou-se nos lírios... vestiu-se de seda, sem dor.
O vento fez de seus gritos, musica terna das brisas...
Essa brisa que tudo conforta... Refresca a dor das farpas contritas.

Uma fonte de águas límpidas faz a sede se render...
Uma sede por águas claras, por palavras de saber...
Um caminho, um ciclo de chegada, vida, e moradas...
Vidas chegam, Vidas choram... Anunciando as caminhadas...
A vida e seus declínios... A vida e seus altos domínios...
A vida e suas estradas, a vida de pétalas  e espinhos...Bybetonicou