Páginas

curvas, retas e esquinas

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Orvalho e jardins ...© Copyright



Serenou numa noite fria... Teu calor voltou, e com olhar de lua, com ternura olhou. Teu Corpo molhado de sereno esfregou-me. Tua flor vermelha rubra sossegou-me, e teu sorriso alegre desafogou-me da tristeza. Serenou sobre mim teus olhos de deusa voando, além das tempestades que surram o viço. Sobre mim pousa teus cabelos negros afogando-me, em teu cheiro de doce feitiço. Sobre a pele crua nos derretemos nos segredos. Serenou numa manhã, nos jardins de nossa Infância, onde dançamos nossa doce ciranda desfazendo-nos, de nossos inocentes medos. Nessa brincadeira de roda, nos desmanchando em beijos. Serenaram em nossas cabeças os leves pingos de amor, nesse nosso pequeno espaço de brinquedos. Serenou sobre as pétalas brancas, o sereno rubro de desejos... Respingou sobre as flores murchas, nossos anseios ávidos de odor. Reacendeu sobre elas o fecundo farto de repentinos lampejos. Fecundaram-se no jardim, novos rebentos de flor. Orvalhou na sequidão, no deserto de nossos negros medos. Neste momento de orvalhos serenos faremos deste curto espaço de ensejos, versos claros de amor; sem anseios.  No vazio murcho das folhas de outono orvalhou Respingos de cor. Serenou, em nossos secos segredos.


Arte : soulful woman guidance cards e Gustav klimt



bybetonicou

Um comentário:

people of the world comment if to like… important for the development of this work…