Páginas

curvas, retas e esquinas

domingo, 24 de junho de 2012

Anjos, e mascaras.© Copyright


Por entre as nuvens vislumbro, o olhar que brilha
E desassossega... Este fitar de azul de mar.
Longe da terra. Esses espaços vazios que precedem,
O breve instante do acordar...
Longe do beijo morno e da inocência singela...
 Os abraços que todo sentimento segreda... Neste
cantinho de sombra, ante a luz de vela que desvela
essas retinas que teimam,  em mostrar o que
Alem do véu se revela...

Neste ermo sem remo, a velejar sob as mazelas
escondidas ouso secar,  de teus olhos lagrimas
lúgubres e  incontidas...
E este olhar,  tão distante. Este vazio que tudo devora.
A inquietação que a este delicado rosto consome e 
a emoção,  do sentimento rude que deplora...

Neste momento deserto, este meu riso mais belo
deseja  sonhar-te mais feliz, mais sorridente almeja...
A solidão que este teu caminhar noturno segrega...
O contraste que o meu dia, de sol pleno revela, 
na esperança que reside o remédio,  para a triste espera.
Levo a você o sentimento profundo, sem causa,
sem espanto... Apenas da paixão. Um leve ardor
Perto do sol E no azul das estrelas, um leve toque de cor...

Vagueio,  por entre os caminhos, acima das nuvens de
Chuvas. Longe da tempestade que entorna suas gotas
de água de lamurias...
Embaçam teus olhos molhados, as sombras que rodeiam
São agruras... Fecham-se,  os olhos cansados ao verem
Tamanha agonia... Cai a mascara e  mostra-se,  a personagem vil
Melancolia... Faça se luz! Dispa-se da grinalda sombria!
Faça-se luz! Cubra-se,  do claro véu de harmonia.   Bybetonicou

Nenhum comentário:

Postar um comentário

people of the world comment if to like… important for the development of this work…