Páginas

curvas, retas e esquinas

segunda-feira, 9 de abril de 2012

sonhos e sereias... © Copyright



Calçando sapatos velhos e  andando sobre terra vermelhas.
Um passo, tiro os calçados, nas calçadas ao redor das areias.
Sentindo o ar serenando, ouço vozes cantantes no ar...
Um canto com seus versos chamando, invocando a magia do mar...
Chamam-me ao mar dos meus sonhos... Cantam versos gostosos
De rimar... E nos meus delírios, desejos insanos... Encanto-me com a  
Voz de sonhar... Canta, e encanta, com voz de soprano, sopra
Versos de canções de ninar...


Descalço em meu irreal mundo, vejo-me sob o sol escaldante
Refresco-me com água de coco, deixo pra traz meu ar ofegante...
Desenho meus passos na areia branca, e  ponho-me a caminhar
Cantando... Os tons de versos, que exaltam as belezas do mar.
Um Tapume separa os anseios... O real, e o irreal de sonhar.
Ouço sons dissonantes, cantantes...  São minhas fantasias com
Sereias... Neste meu mar de divagar... Ha seres que emitem  sons,
Que amenizam os medos, e fazem a falsa coragem brotar...

Caminho sobre as areias salgadas, descanso sob as sombras
De um sape... Ao longe teu sorriso benfazejo... Cantando,
Vou encontrar Você... Um barquinho de pesca, e suas tabuas
Molhadas... Descansa na calmaria da areia... Espera novas remadas...
Remando, navego em direção ao que me anseia... Nos ombros
Pendurados, meus sapatos velhos balançam ao sabor dos  ventos... ..
Meu rosto antes cansado, traz agora um semblante, e gesto, serenos...
Vou em direção aos teus versos, navegando acima das minhas ondas, e
Meus devaneios...


Alcanço, e entrego-me aos teus laços... Fantasias de meus sonhos
Delirantes... Entrego-me aos teus versos, que são belos, livres, e
Constantes... Meus sapatos surrados, e calejados de andar sob
As minhas angustiantes, quentes, e frágeis areias...                            
Vão agora à deriva, junto ao o barco acima das marés, que agora,                                                                       Fazem-se cheias...

Encontro-me no aconchego dos seus braços... São os destinos, de duas
Vidas... A minha, antes alheia...
Nadamos rumo ao fundo dos meus sonhos... Você em meus braços,
E eu, nos seus braços de sereia...
Vamos assobiando, e cantando envoltos, no meu mar de sonhos... Que
Envolve-nos, e rodeia...
Acima ouço outros versos, que exaltam a outra beleza...
A beleza que acende as paixões... Outros sonham, e cantam...
Fez-se noite... Noite  de lua cheia... By betonicou

Um comentário:

  1. descalço em meu irreal mundo,me vejo sob o sol escaldante...onde amo estar a beira mar!
    Lindíssimo!
    bjs

    ResponderExcluir

people of the world comment if to like… important for the development of this work…