Páginas

curvas, retas e esquinas

sábado, 2 de julho de 2011

Vertentes..© Copyright



Sobre as vertentes, ha
Caminhos ardentes.
Águas que brotam,
Deste solo que chora...
O choro que implora,
Pela rocha que jorra...
Um sol escaldante,
Um calor torturante.
Uma fenda na rocha,
Uma água que jorra...
Um suor, uma fronte,
Um frescor borbulhante.
Um alivia na fonte, do
Calor devorante...

As flores se mexem ao
Vento, e a terna brisa...
O acalento suave, meigo,
A doce canção suaviza.
O coração em total ermo,
A solidão que o acerca...
 Angustias descontentes
A tristeza que a alma
Encerra...

Clamam pelas vertentes,
As multidões que viajam.
Vastas almas que choram,
Pelas rochas imploram!
Nesta rocha que se esvai.
Então se consolam...
Sorvendo então a pureza,
               Desta pedra vertente.                       By betonicou

Alma de artista .© Copyright

Ninguém e’ artista, se não carregar em si, 
as emoções necessárias em sua arte.
Ninguém eleva se, se não deixar fluir
seus Sentidos mais suaves da alma...
Ninguém condiciona sua arte, se não
ter em mãos, a matéria prima necessária.
O pintor não traz de dentro de si, sem ter
tinta e um pincel em mãos; A tela pode
Ser os murais, da própria existência...
O poeta não encanta com  versos na 
escrita, se não ter seus sentimentos
aflorados por emoções fortes, ou suaves...
Fazendo surgir de seus dedos embriagados
Pela inspiração ressurgida... Pois ela some,
E torna a aparecer em lindos, e novos
Mágicos devaneios, como um cintilar nas
Pontas dos dedos.
Assim como a matéria-prima da dança
E’ o movimento... O movimento do
Corpo que dança... Tudo envolvendo a
Sensibilidade; Sem ela as matérias-
Primas se diluiriam sem forma...
Como o barro do oleiro se dilui, ao
Ser posto na água, sem um propósito.
O ferro não ganharia forma, se não
Fosse modelado pela sensibilidade
Do artista...
Nenhum artista molda suas emoções,
Sem dar vazão a uma sensibilidade
Escondida...
Ninguém e’ artista se não carregar
Dentro de si, as formas de suas emoções.
O cantor canta, e exala a sua arte na
Forma de notas de extrema magia...
São fragmentos de sua própria alma!      By betonicou

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Pássaro migrante.© Copyright


 Homem tal qual um pássaro,
Que se esquiva do vento frio...
Saindo da terra que inverna,
Para a terra aquecida de calor,
E luz...
Saindo do vale das sombras
Sombrias, uma razão...
Imigrando por caminhos,
Que aos poucos se estreitam...
Provado pelo fogo, e como a
Prata, o ouro, e a corça
Sedenta...
Caminho, frio, duro, árduo...
Um medo imenso!
E eis então um brilho intenso
Refulgência, que aponta como
Um raio, para o fim da estrada
Trilhada... Como um farol
Que serve como guia, durante
A tempestade forte, e
Sombria...
No alto mar solitário, a
Solidão se se preenche de luz...
Luz que prende o mais atento...
Um caminho, que nasce
Refulgente, fulgor intenso!
A semente que brota em terra
Seca, e sedenta... o coração...
No fim da estrada trilhada,
Em asas de águia voante...
Cavalgando o vento frio como
Aço cortante... ressoa o canto
Do pássaro migrante!
O canto da vitoria, e Fe provada...
Recebido pelo abraço de Deus...
Uma forte trovoada! Aprovando
A jornada finda.
O bem vindo à criatura, outrora
Perdido, e agora filho encontrado!
                                                                          By betonicou

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Amor arcano © Copyright


Minha magia e’ arcana...  te
Levarei para Arcádia, onde
Liberaremos nossa poesia, e
Canções em noites de extremo
Prazer... Subiremos no mais
Alto dos muros, por entre as
Estrelas... Suave menina, doce
Amor! Tu me fascinas! Tua
Visão linda me alucina...
Roubo-te dos montes dos
Deuses... Desce ate minha
Humilde vida, que jogada
Aos teus pés, se derrama em
Desejos... Minha paixão há
Muito escondida...

Derrubemos as barreiras
Tênues, dos muros eternos...
Tu La, e eu aqui, esperando
Por ti... Num abraço caloroso,
 Derreteremos o inverno, que
Há muito nos congela, e nos
Oprime... Liberemos o fogo
Da paixão de verão, que há muito
Teima em aflorar, e explodir, em
Ardente desejo de amar...
E que insiste em vir à tona, e                                                                                           Fazer no auge, esse amor
Levitar... Minha magia te traz
Dos céus...
Meus desejos terrenos,
Abraçam-te, beijam-te, em ardentes, e doces raios de verão...
                                                                                                               
By betonicou