Páginas

curvas, retas e esquinas

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Pobres e órfãos ...© Copyright


O que queres de mim pai ausente? Sofrido me fez
Sem teu afago e  teu colo.  Onde ecoa teu brado,
Lá eu choro...
Sou o teu pranto, teu filho abandonado às margens
de tuas águas vermelhas...
Se o penhor desta igualdade nos torna filhos iguais,
Onde estará o meu lugar em teu seio?
Conquistaram-se, com nosso braço forte a tua liberdade...
Onde estará a nossa parte neste quinhão? Penhorou-se?
Minha vida por ti! Onde receber,  o justo pago devido a mim?
No Ipiranga, a busca pelo plácido se deu, mas suas águas,
Continuam vermelhas pelo teu desdouro...

Ali, tu foste gerado... Mas ali tu morreste, por ter-me
esquecido às tuas margens...
O que fazer, se depois  deixou-me perecer  em teu rio de sangue?
O que queres de mim pátria amada?! Se te adoramos, e
clamamos em brado forte,  onde ainda repousa os nossos sonhos
e a esperança. de um dia poder alcançar o real desejo em ti ?
Do povo, o maior anseio !
Perderam-se os raios brilhantes, e o nosso amanhã sombreou-se? Sempre estará, o nosso céu enegrecido?
E nossas almas?! Quando se alegrarão,  mais uma vez em um belo e
Esplendoroso porvir?!
Onde está,  o pão de letras reservado aos famintos de saber?  A sede
Mescla-se à fome mal saciada, de tua cultura negada...


Árvore da vida que pouco orvalha.... pouco cresce, nos privando
de sua confortável sombra e de teus frutos benditos...
Teus rios do verbo se represaram... E a seca, nos retrai a alma, sem
podermos proferir palavras ditosas a ti.
Pouco,  do teu saber a minha alma sorveu... Qual seria o meu legado,
diante do gigante que tu ES?
Sozinho, ou morto em teu berço esplêndido? Fostes, tragado pelo negro,
ou abandonou-me no leito do teu rio de liberdade?
O que queres? Meu sangue sofrido, há muito é seco de dor... Brada em alto clamor! Não ás margens do teu Ipiranga, mas às margens,
Dos teus protegidos, porque estes, se encontram abastados...
De teu achego, e teus olhos cegos...
Aqui estou  querendo abraçar-te !  Dar  por ti, o sangue e a vida...
O filho varonil e  sem medo, não acolhe e manténs-me em segredo
Em teu grito, de liberdade ou morte! Por que me reservas, o algoz e o medo?
Agora, sem sigilos e vans segredos  diga-me! Meu ser, todo implora! Almejo saber o  Tolo enredo... Sei o que há de vir! Mas mesmo assim,
Ouvir de ti... O que queres de mim?  
         
By betonicou

7 comentários:

  1. Parabéns, Adalberto!!! Tenho que tirar o chapéu e te aplaudir pela beleza de texto com o qual você nos presentou. Este texto traz uma ótima reflexão sobre o Brasil e os Brasis, porque dentro deste país existem vários países onde a miséria tanta a física como a moral imperam, um povo que clama por justiça, por segurança, por PAZ, por igualdade de direitos. Educação e Saúde vergonhas nacionais. Verdadeiros engodos são mostrados pela imprensa e pela mídia. Um país em que Cazuza também cantou muito bem na música "Brasil, mostra a tua cara". O nosso país, infelizmente, é um país "maquiado" e a maquiagem é tamanha, que você não se dá conta e quer ter uma esperança de que alguém natural, com a face lavada, limpa e transparente possa tomar as rédeas e atender os desvalidos, os carentes, os que vivem à margem da vida. Percebo um eu poético muito consciente e inconformado com as mazelas dessa vida e como que fazendo uma oração se coloca, humildemente, diante do ser superior inquirindo a Ele o que quer que lhe faça. Entendo que cada um de nós temos feito a nossa parte dentro da área em que atuamos, nos contextos onde estamos inseridos e no universo do qual fazemos parte. Muito rico este poema que mostra toda a ideologia contida no Hino Nacional e também o desmitifica. Caro leitor, a conscientização está aí, mostrada a todos, o momento é oportuna para repensar o país e como cidadão nos autoavaliarmos e ver quem, de fato, somos nós nas áreas: Social, Política, Religiosa, Educacional, de Justiça e de Saúde. O grito de alerta foi dado. Acorda, Brasil!!!

    ResponderExcluir
  2. Luiz , nossas conversas sempre dão bases para algum poema... este , e' a minha resposta, a todas as frustaçoe... Minhas, e do povo . que se sentem as margens, de um brasil de poucos ....

    ResponderExcluir
  3. Obrigado! minha querida Rubia , por sempre esta aqui nos prestigiando!

    ResponderExcluir
  4. Beto....sem palavras...e vou aderir ao grito de alerta do Luiz...ACORDA, BRASIL!!!

    ResponderExcluir
  5. APESAR DE UM ANO DE ATRASO, POIS HA POUCO CONHECI O BLOG, PEÇO PERMISSÃO PARA COMPARTILHAR NO FACEBOOK, AO MESMO TEMPO QUE O FELICITO POR UM GRITO TÃO LÚCIDO, ATUAL E NECESSÁRIO... SEM MAIS PALAVRAS, FAÇO CORO AO GRITO DE LUIZ;;; ACORDA BRASIL!!!!!!!!! BJUS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivete pessoas conscientes se fazem necessário... Fique a vontade minha querida, aqui e no facebook...beijos

      Excluir

people of the world comment if to like… important for the development of this work…