Páginas

curvas, retas e esquinas

sexta-feira, 15 de julho de 2011

verdade...© Copyright



Procurei na mãe natureza, a verdade escondida...
Minha curiosidade, muitas vezes intensa...                                                       Aguçou se então, a ansiedade contida...
Por te querer verdade, enfim, ainda fugias de mim...
Talvez venha nos ventos cortantes, pois talvez, os
Ventos do sul, e do norte tragam noticias tua...
Mas ouvi apenas, uivos e sussurros...                                                                     Então verdade... Porque foges de mim?

Na beleza das flores, procuro... Sim, nas lindas
Cores das flores! Nas montanhas imponentes,                                                     Onde esconde o sol poente.
Na vastidão dos sete mares, procurei por todos
Lugares, Mas apesar dos pesares, ainda fugia,                                                           A verdade de mim...
Verdade, onde tu estas? Venha afagar a alma
Aflita, Libertar o ego do cárcere, fazer feliz
Aquele que sofre, Pela falta que tu faz...                                                          Verdade pequena, não me Satisfaz... Então,
Porque te ocultas assim?
                                                                                                                                Do mundo hostil, da língua cortante, da espada                                                Afiada, do medo da morte, da escuridão que me
Envolve... Oh!- Não me deixes tão pobre! Não te                                                 Afastes de mim!
Verdade onde tu estas?                                                                                    Procuro no céu infinito...
Aprecio a imensidão dos céus... Talvez naquela     
Estrela que cai, Pois lancei meu desejo, em
Encontrar o que tanto almejo; Ou, quem sabe,                                                        No brilho cintilante das estrelas; Ou no prateado
Da lua; Ou, quem sabe, no sol que nasce, ou n                                                        Sol que se Poe; Por de traz das lembranças, ou no
Presente, aqui, ou no futuro por vir...                                                                 Talvez eu encontre, talvez me encontre, quem sabe                                                    A verdade enfim... Verdade, verdade, Não fujas de mim!                                                                 By betonicou
                          

3 comentários:

  1. chorei... nossa, lindo. você escreveu com o coração... de novo! Faça isso sempre!

    ResponderExcluir
  2. A Verdade aqui sendo personificada. Muito bom a partir de um elemento abstrato, você o torna concreto e o materializa, levando-o a ter características e atributos de um humano. Infelizmente, nem sempre aquilo que uma pessoa comunga como Verdade pode não ser para outra. Situações conflituosas têm sido geradas mediante verdades expostas. Jesus em um de seus Evangelhos nos diz: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertarás." É pelo que temos de lutar e trazer a verdade à torna. POis, no momento em que conhecemos a VERDADE estamos libertos, poior situação, deve a de uma pessoa ser escrava de algo e ficar extorquindo dela mesma comportamentos ensaiados, "mascarados" como temos visto por aí em nossa sociedade, comportamentos totalmente desprovidos de VERDADE. Portanto, meu amigo, tu trouxeste um tema bem polêmico e com caráter filosófico, mas tu não esqueceste também de pincelar com o poema com alguns pingos do romantismo:"Aprecio a imensidão dos céus...talvez naquela estrela que cai/ pois lancei o meu desejo de encontrar o que tanto almejo..." Elementos como "estrelas", "Luz" e "Sol" todos sugestivos de brilho e por uma analogia é o que a Verdade traz como característica máxima: poder ser o brilho, tornar claras as inverdades. Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Pedro obrigado por ter comentado , e que bom que tenha gostado ! sempre bom, ter amigos aqui dando uma força ,e brilhando com seus comentários .

    ResponderExcluir

people of the world comment if to like… important for the development of this work…