Páginas

curvas, retas e esquinas

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Dei-me uma canção de amor....© Copyright

Dei-me uma canção de amor... Que seja terno, um passeio,
Em todas, as lembranças... Um sopro de murmúrios, das
Ressonâncias, das notas musicais... Do som das sonâncias,
Revelem do interior a minha dança... Revolvendo em meu
Peito, as lembranças, e sentimentos, onde tudo alcança...
Em um brinde, de nostalgia, o encanto, das notas de magia...
O momento que tudo cria, nas dissonâncias, de um acorde
Lírico, para um coração apaixonado.

Dei-me uma canção, que relate o amor vivido, e relembrado
E no levitar das notas, a noção da leveza ao vento...
Quero ouvir murmúrios, um ouvir atento... No doce delírio, 
De novo, uma nova estação...
Um amor, ou dois amores... Um, e’ o deleite de amar... O outro
Quem sabe... Amou-se? E tudo, se dissipou ao ar... Sem,
Querer, ou premeditado... Por um deslize cruel do tempo que se foi...
Uma canção, uma melodia,  uma nota de ilusão...

Neste canto, recordar você ausente... Cantar, e sentir mais
Uma vez, a fagulha, um sopro... Nos ouvidos uma voz, um tom...
Um sussurro, uma  sensação extreme que deixaram marcas...
E que vem a tona... Marcadas na melodia, um alento...
Uma química dos prazeres  vividos, e ainda contidos... Dei-me, uma
Canção... Que seja no jazz, blues, rock Rool... Mas que me
Lembre tudo que se foi, ou tudo que ainda ficou... Ali, inerte... A 
Espera de poder ouvir as notas da saudade, destinado através dos
Tempos, a serem cantadas em melodias de rimas poéticas...

Dei-me uma canção, que se eleve aos ares do tempo, e revele as
Alturas, de um amor que subiu pelas asas de Orfeu... Onde tudo,
Pare... E o movimento, se estagne... Extasiado pelo pulsar constante,
Da magia de Melodia... Uma canção, que desprenda de todos os
Medos... Por que o bemol dos sentimentos teimou em levar
Para o mais profundo intento, a razão de um amor existido, e agora,
O fôlego do amor relembrado... E o brilho do amor revivido...

No sustenido destas notas, se elevem os sentimentos
Adormecidos. Em busca de mais uma vez sentir, o que outrora se
Sentiu... Nas alturas dos céus, flutuar alto no som...
Sentir o efeito dopante, e o destino agradável das notas em
Meus pensamentos, que um dia, se exauria...
Todos os medos se dissipem, e retorne a alegria de poder ouvir, e
Viver, no revelar das notas da magia...  Relembrar
A vida ali cantada... No blues, jazz, ou outra delicia de cantar...
 Encorajando ainda de novo, poder amar,  Ouvir, e brilhar.
Então, dei-me uma canção de amor...           By betonicou

9 comentários:

  1. Amar é ter medo às vezes, medo de perder, medo de sofrer...E então fazer as pazes depois, pedir desculpas e enfim se reencontrar...
    Como é bom ver aquela pessoa que você ficou maior tempo sem ver, poder sentir o cheiro dela, abraçar e aí dar aquele beijo maisss apaixonado, um beijo de saudade, beijo de amor...
    Viver cada momento de sua vida pensando... pensando...querendo viver mais e mais e fazer mais e mais pra ver alguém feliz e ser feliz também...
    O amor é um sentimento puro, um pouco complexo às vez mas extremamente verdadeiro...

    Beto...viajei em sua música...uma melodia tão linda e cheia de sentimentos...e é isso que torna o que você escreve apaixonante...os sentimentos...bjsss no coração!!!!

    ResponderExcluir
  2. No amor, o signo linguístico "canção" é sugestivo do bailado, da dança, da alegria e também da harmonia(parece que os seres entrelaçados no sentimento se equilibram). Um eu poético envolvido em total magia, parece qeue passa por um momento de evasão no tempo e no espaço, embalado pela "canção" que o remonta a vários contextos. E, ele "viaja, sonha e as fantasias passeiam pela sua mente. Será que houve ilusão em sua vida? Tudo indica que sim e precisa dessa canção, como um om categórico, impertaivo. Com base nisso, ele tece reflexões: O amor aconteceu? Foi planejado ou aconteceu naturalmente? Há platonismo ou realização do amor? A canção que o eu poético pde representa o norte para ele, para a sua tomada de decisões ou sua retomada ao passado. Mas, no fundo, ele quer revigorar o amor.

    ResponderExcluir
  3. eu quis dizer com um "tom" categórico... imperativo...(corrigido)

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Cris! musica composta pra vocês minha querida...

    ResponderExcluir
  5. Luiz, mais uma vez nos brindando com seu comentário, e dissecando através da interpretação...Tudo acontece quando se ama , ou amou ... ilusão e desilusões... Afinal e' uma dança onde os passos as vezes tropeçam...

    ResponderExcluir
  6. Música pra mim é amor, amor pra mim é melodia!!! Nem sempre a música tem o rítmo que queremos ouvir... mto lindo Adalberto!!! Obrigada por esta oportunidade de ler coisas tão harmoniosas!!!

    ResponderExcluir
  7. parafraseando Nietzsche ''se a música inspira o amor... que continuem a tocar''. Esse seu texto esta maravilhoso. MAIS AMOR, POR FAVOR! Esta deveria ser a última canção de amor deste pequeno universo! Estou feliz por você expressar dignamente seus sentimentos, pensamentos e histórias. Afinal AMOR: sentimento universal.

    ResponderExcluir
  8. Obrigado por ter vindo e deixado seu comentário Rubia. com certeza , nem sempre dançamos a dança certa ...

    ResponderExcluir
  9. Pedro , acho que toda minha historia gira em torno de meus sentimentos ... rsrsrs Obrigado pelo elogio... bom saber que eu,e os amigos estamos harmoniosos ...

    ResponderExcluir

people of the world comment if to like… important for the development of this work…